quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Projeto Apoiar do campus Sorocaba capacita colhedores de sementes e produtores de mudas

Cinco cursos serão oferecidos para que a atividade seja praticada de acordo com a lei

O Projeto de Assistência, Pesquisa, Organização e Incentivo à produção de sementes e mudas florestais (Apoiar), do campus Sorocaba da UFSCar, está capacitando pequenos e médios agricultores, viveiristas, comunidades, organizações não governamentais (ONGs) e todas as pessoas que queiram se legalizar para a produção de sementes e mudas florestais. O objetivo da capacitação é fornecer o conhecimento necessário para que as mudas sejam produzidas de acordo com padrão de qualidade de material genético. Com a garantia dessa qualidade, espera-se melhorar o índice de sobrevivência dessas mudas e proporcionar o crescimento adequado das espécies. 

Segundo a docente do campus Sorocaba Fátima Conceição Marquez Piña Rodrigues, a partir de 2013 passará a ser obrigatória a capacitação técnica de todos os colhedores de sementes e produtores de mudas no Brasil. "Quem não estiver dentro do padrão de qualidade, será impedido de comercializar suas mudas", destaca. A medida tem apoio legal com base no Decreto nº 5.153, que regulamenta a lei 10.711/2003, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Sementes e Mudas.

De acordo com Fátima, "é muito bom plantar uma árvore, mas é imprescindível garantir a qualidade dessa muda, para que a árvore plantada possa sobreviver e crescer", observa. Além dos cursos, o Projeto Apoiar implantará a Linha Verde, que dará atendimento e apoio aos produtores por meio da empresa EcoJúnior, do curso de Engenharia Florestal do campus Sorocaba.

O Projeto é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o primeiro curso capacitou 18 pessoas, cujas atividades são desenvolvidas no âmbito da Bacia do rio Sorocaba e Médio Tietê. Para 2011, cinco novos cursos estão programados. Dois deles serão oferecidos para a capacitação dos responsáveis técnicos, que serão os biólogos e engenheiros agrônomos e florestais. Todo viveiro será obrigado por lei a ter um responsável técnico pelo padrão de qualidade. Um curso será destinado para analistas de sementes e mudas de espécies florestais, que trabalharão em laboratórios do Ministério da Agricultura, Pesquisa e Abastecimento (MAPA) e dois cursos serão destinados aos colhedores de sementes e produtores de mudas. 

Interessados em se cadastrar para fazer os cursos de capacitação podem obter mais informações por meio do blog http://www.sementeflorestaltropical.blogspot.com ou pelo e-mail semearte_ufscar@yahoo.com.br.

Márcia Dias | Comunicação Social da Universidade Federal de São Carlos
-- 
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa