quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Assembleia Legislativa do Rio reúne especialistas para debater indústria da reciclagem

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO RIO DE JANEIRO - FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO DO RIO
ALERJ SEDIA DEBATE SOBRE IMPACTOS ECONÔMICOS E AMBIENTAIS DA RECICLAGEM                                DE LIXO

 De  que  forma  o  lixo  pode  deixar  de  ser  um passivo ambiental e se transformar  em  riqueza  para a sociedade? São respostas a esta pergunta que  o  Fórum  de  Desenvolvimento  do  Rio  tentará  formular na próxima segunda-feira  (30/11),  às  14h30,  no  debate "Indústria da Reciclagem: impactos  sociais, econômicos  e ambientais", que reunirá no Plenário da Assembleia  Legislativa  (Alerj)  governo, empresários  e acadêmicos. No encontro  será  apresentado  um  panorama  da  indústria da reciclagem no estado,  as  oportunidades  de  negócios  no  setor  e  o  uso  de  novas tecnologias para garantir a correta destinação dos resíduos sólidos.

 Para  o  presidente  da  Alerj  e  do  Fórum,  deputado Jorge Picciani, a destinação   do  lixo  é  uma  questão  crucial  para  o  desenvolvimento sustentável  do  estado.  "O lixo ainda é um problema grave no país, e no Rio  de  Janeiro  não  é diferente. O papel do poder público é viabilizar alternativas  que  se  adaptem  à  realidade  dos  municípios e que sejam sustentáveis  no  longo prazo. Atualmente, o estado do Rio de Janeiro tem implementado  uma  política  de  incentivo  à  substituição de lixões por aterros sanitários consorciados", explica.

 Para  o  debate  já estão confirmadas palestras da secretária estadual do Ambiente,  Marilene  Ramos,  que  vai  apresentar um panorama da política estadual  de  destinação  de resíduos sólidos; do vice-prefeito do Rio de Janeiro,  Carlos  Alberto  Muniz, que vai mostrar como a cidade do Rio de Janeiro  lida  com  a  questão  do  lixo; do professor Claudio Mahler, da UFRJ/Coppe,  que  vai falar sobre experiências nacionais e internacionais para  aproveitar  o  potencial  de geração de energia a partir do lixo. 

O diretor  da empresa Geociclo, Ernani Judice, abordará um tema em alta nos fóruns  sobre  destinação  de  resíduos sólidos: o potencial econômico da transformação   do   lixo   orgânico   em   fertilizantes   a  partir  da biotecnologia. Edson Freitas, presidente da Associação de Recicladores do Estado  do  Rio  de  Janeiro  (Arerj), e o advogado tributarista Reinaldo Marins falam sobre os principais desafios e oportunidades da indústria de reciclagem  no  Brasil  e  quais medidas o poder público pode adotar para alavancar  a atividade. Sebastião dos Santos, presidente da Associação de Catadores,  vai abordar como funciona, do ponto de vista das cooperativas de catadores, as questões que envolvem desenvolvimento e sustentabilidade econômica.  O  secretário  estadual  da  Fazenda, Joaquim Levy, encerra o debate   apresentando  uma  avaliação  da  questão  tributária  e  fiscal relacionada à reciclagem.

 "Nosso  objetivo principal é lançar luz sobre os desafios para aumentar o volume  de  lixo reciclado, identificar as tecnologias e as oportunidades de  desenvolvimento  que  esse segmento oferece e abrir o Parlamento para experiências bem sucedidas", completa Picciani, afirmando que os gestores
 públicos  e  a  sociedade  em  geral  podem  atuar de forma conjunta para transformar  os resíduos em riqueza e com isso assegurar geração de renda e empregos.

 Como  parte  do  evento,  serão expostos no saguão do Palácio Tiradentes, sede  da  Alerj,  painéis  mostrando  produtos confeccionados por meio da reciclagem  de  plástico, alumínio, vidro e papel. Na entrada do Palácio, um  grupo  de  voluntários  da organização não-governamental Eccovida vai
 distribuir   sacos   transparentes   para   a  população,  estimulando  o engajamento de cada um dos indivíduos na reciclagem.

 A ATUAÇÃO DO FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO DO RIO
 A  preservação  ambiental  e  o  desenvolvimento econômico sustentável do estado  estão  na pauta do Fórum de Desenvolvimento do Rio. Em maio deste ano  o  ministro  do  Meio  Ambiente,  Carlos Minc, participou da segunda edição  do  "Fórum  Recebe"  e  fez  uma  palestra  no  plenário da Alerj
 reforçando   o  compromisso  de  incentivar  processos  de  licenciamento ambiental  ágeis  e  rigorosos, para garantir o crescimento da economia e assegurar  a  preservação  ambiental.  No debate sobre pesca marítima, em agosto,  uma  pesquisa da UFRJ mostrou que a preservação dos oceanos e do ecossistema  costeiro são fundamentais para evitar o declínio da produção de  pescado.  E ao longo do segundo semestre deste ano, a Câmara Setorial de  Desenvolvimento  Sustentável  tem  trabalhado  na  elaboração  de uma
 cartilha com os requisitos para que projetos de lei apresentados na Alerj obedeçam  aos  princípios de sustentabilidade, como taxação maior para as atividades  que  gerem  mais  emissão  de  carbono  e  estímulo ao uso de energias limpas.

 SERVIÇO:
 
Debate:  A  Indústria  da  Reciclagem:  impactos  sociais,  econômicos  e ambientais
 Data: 30 de novembro
 Horário: 14h
 Local:  Plenário Barbosa Lima Sobrinho. Palácio Tiradentes - Rua Primeiro
 de Março, s/nº, Praça
 XV. Centro – Rio de Janeiro – RJ
 Mais informações: (21) 2588-1352
 *O debate é gratuito e aberto ao público
 Saiba mais sobre o Fórum de Desenvolvimento do Rio:
 
www.querodiscutiromeuestado.rj.gov.br
 
http://www.meadiciona.com/forumdesenvolvimento

 
Rafael Alves Pereira

-- 
farolcomunitario | rede web de informação e cultura