sábado, 24 de setembro de 2011

Exposição "As máquinas de Leonardo da Vinci" começa neste segunda-feira em Brasília

A partir de segunda-feira (26), 20 réplicas das principais invenções do cientista serão trazidas pela primeira vez ao Brasil. Ao todo, serão 60 representações das mais importantes descobertas feitas por Da Vinci, recriadas pelo artesão italiano Gabriele Niccolai

O espírito inovador do italiano Leonardo da Vinci volta a Brasília em exposição inédita que celebrará a incomparável visão artística do renascentista que, entre as tantas habilidades que desenvolveu ao longo de sua vida, foi pintor, cientista, inventor, arquiteto, poeta e músico. No período de 26 de setembro a 25 de outubro, 20 réplicas das principais invenções do cientista serão trazidas pela primeira vez ao Brasil. Apaixonados por artes e pelas tecnologistas criadas há mais de 500 anos poderão conferir gratuitamente a mostra "As máquinas de Leonardo da Vinci", montada na praça central do Parkshopping, em Brasília (DF), que apresentará 60 das mais importantes descobertas feitas por Da Vinci, recriadas pelo artesão italiano Gabriele Niccolai. A grande novidade será o Robô Tamborilador, lançado na Índia no ano passado.

A iniciativa é do Centro Educacional Leonardo da Vinci, em parceria com o Parkshooping e a Associação Cultural Italian Art, que pela segunda vez realiza o evento em comemoração ao aniversário da instituição, que neste ano completou 42 anos de criação no Distrito Federal.

Com base em um longo estudo dos manuscritos deixados por Leonardo da Vinci em espécies de "códigos", Gabriele Niccolai – que virá ao Brasil especialmente para a abertura da mostra – já reproduziu mais de 170 peças do gênio renascentista, feitas de madeira, metal e tecido em tamanho reduzido ou em tamanho natural. Desse total, somente 40 réplicas foram expostas até hoje no país, durante a última mostra intitulada "Por dentro da mente de Leonardo da Vinci", realizada também em Brasília, em 2009. Para recriar o complexo boneco mecânico, o Robô Tamborilador, foram necessários mais de seis meses de estudos. O resultado é magnífico: a obra promete ser a atração principal entre os visitantes da exposição e já percorreu a Europa, os Estados Unidos e a Austrália.

De acordo com Luca Paolo Gori, organizador da exposição, Leonardo da Vinci construiu poucas de suas invenções e deixou diversas anotações reunidas em dez códigos que até hoje intrigam estudiosos e curiosos. Até 2010, o Robô Tamborilador não havia saído do papel. "Da Vinci chegou a construir robôs que eram usados para saudar pessoas ilustres da época nas cortes, principalmente em Milão. Artistas italianos da época descreveram a existência de algumas dessas peças, como um Leão Mecânico e o próprio Tamborilador. No entanto, esses esboços ficaram perdidos até a atualidade e ninguém nunca soube como construí-los", conta. "Cada lugar por onde ele percorreu influenciava uma criação e, por isso, começava várias coisas ao mesmo tempo e às vezes não parava", diz.

A exposição, realizada pela primeira vez na Europa nos anos 2000, proporcionará um encontro dinâmico com a vida e invenções de Leonardo da Vinci. Será possível ver e sentir de perto como foi criar, há cerca de cinco séculos, máquinas funcionais que marcaram a construção civil, a mecânica, a guerra e o voo. A história de vida de Leonardo da Vinci também será relembrada por meio de painéis bibliográficos, vídeos interativos com as máquinas expostas em funcionamento.

A mostra promete ser uma experiência de grande valor para todas as idades. "A lição de vida e a constante procura pelo conhecimento podem ajudar a despertar o interesse dos jovens e incentivar nos estudos porque mesmo se achando inferior aos outros cientistas da época, Leonardo da Vinci conseguiu ser o maior inventor da humanidade, o que nos ensina que todos nós podemos ser melhores", avalia Luca Paolo.

Media House Comunicação & Marketing
-- 
FarolCom | Coletivo de Imprensa
rede web de informação e cultura