quarta-feira, 6 de abril de 2011

Vídeos orientam público a reduzir sódio na alimentação

Julio Bernardes | Agência USP

Uma série de 14 vídeos produzidos por alunos de graduação em Nutrição da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP mostra a importância de práticas alimentares saudáveis, tendo como tema a diminuição da ingestão de sódio. Cada vídeo é voltado para um público específico, desde mães que alimentam seus bebês até idosos. Desenvolvidos na disciplina de Educação Nutricional com orientação das  professoras  Ana Maria Cervato Mancuso e Ana Maria Dianezi Gambardella, da FSP,  os vídeos serão veiculados e avaliados conforme o público-alvo.

Usado para realçar sabor de alimentos, sódio pode trazer riscos à saúde

Para o desenvolvimento dos vídeos, as professoras utilizaram princípios de Educomunicação, sob supervisão do professor Ismar de Oliveira Soares, da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, para tornar as informações sobre nutrição acessíveis a toda a sociedade de forma mais ampla e ágil, quando comparada com os trabalhos escritos. "Não adianta fazer educação se não houver comunicação", ressalta a professora Ana Maria Gambardella.

O objetivo do projeto, para o ano de 2010, foi a a redução da ingestão de sódio, usado em muitos alimentos industrializados para realçar seu sabor. "Apesar dos riscos à saúde, o sódio está presente em muitos produtos, inclusive doces", alerta a professora. "Um pacote de macarrão instantâneo, por exemplo, tem uma quantidade de sódio maior do que o limite aceito pela Organização Mundial da Saúde (OMS)."

Conteúdo
Os 80 alunos da disciplina de Educação Nutricional foram divididos em grupos para elaborar o conteúdo educacional e realizar a produção. "As informações foram trabalhadas para determinados grupo da população, entre eles mães que alimentam bebês, jovens, adultos e idosos", conta a professora. "Esta orientação pode  ajudar a prevenir hipertensão arterial e outras doenças crônico-degenerativas causadas pelo consumo excessivo de sódio."

Para veicular as informações ao público, os alunos gravaram em vídeo reportagens, entrevistas com especialistas em saúde e nutrição e encenaram pequenos esquetes de ficção. "O que tinha de ser veiculado é a necessidade do público prestar atenção nos rótulos dos produtos alimetícios e ficar atentos à grande quantidade de sódio  e os riscos à saude", diz Ana Maria Gambardella.

Para permitir acesso mais amplo às informações veiculadas, também está prevista a disponibilização dos vídeos na internet. Outra proposta é a  exibição em salas de espera de hospitais e ambulatórios, de modo a aproveitar o tempo que os usuários dos serviços de saúde aguardam para ser atendidos. Uma das produções dos alunos pode ser assistida na seção de Vídeos.

No segundo semestre deste ano, os novos alunos da disciplina Educação Nutricional irão veicular os vídeos produzidos em 2009 e 2010 para os públicos a que se destinam e avaliar o seu retorno. Em 2009, a produção de vídeos teve o apoio da TV USP,  da Coordenadoria de Comunicação Social (CCS) da USP, e o tema abordado foi a alimentação saudável. No ano passado, os alunos tiveram o auxílio do projeto Telesaúde, da disciplina de  Telemedicina da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP).  Também colaborou o professor Ismar de Oliveira Soares, da ECA.

(Imagem: cena do vídeo "Será que é preciso reduzir o consumo de sal?", produzido pelos alunos João Paulo Vicente Alonso, Isabel Cristina Rodrigues, Janaína Alessandra Silva, Fernando Nishizawa e Ana Carolina Ragungnetti e cedido pelas professoras responsáveis pelo projeto) 

-- 
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa