segunda-feira, 4 de julho de 2011

Acidentes de moto deixam sequelas em uma de cada três vítimas

Segundo um levantamento recente feito pelo Instituto de Ortopedia do Hospital das Clínicas, um em cada três acidentados de moto fica com seqüelas para o resto da vida. 

Somente em São Paulo, 478 motoqueiros morreram no ano passado, o que significa mais de uma morte por dia. Segundo o chefe do Centro de Traumas do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), Leonardo Rocha, o motociclista está muito mais exposto  seqüelas graves do que os motoristas dos demais veículos:

" Essas lesões são mais graves do que os acidentes automobilísticos em função do motociclista ficar menos protegido na moto, e essas lesões em função da alta velocidade e da falta de proteção, você acaba causando uma lesão não só do osso, mas também da parte dos tendões e dos músculos."

Leonardo Rocha também falou sobre as causas dos acidentes. Segundo ele, o principal fator que favorece os episódios é a imprudência no trânsito: "Os acidentes casuais não geram tantas lesões. Quedas com baixa velocidade, onde não tenha um dano maior, essas não causam lesões. Mas geralmente as que estão associadas a alta velocidade, essas evoluem com seqüelas."

 O chefe do Centro de Traumas do Into, Leonardo Rocha, faz um alerta:  as roupas de proteção como cotoveleiras e joelheiras  amenizam o impacto do acidente, mas não evitam as seqüelas. Segundo o especialista, os números de acidentes envolvendo motoqueiros  só irá diminuir quando houver a mudança de comportamento da sociedade, com informação e educação desde a infância.

Por: Débora Rocha, Ministério da Saúde

Elaine Dias | Into

-- 
FarolCom | Coletivo de Imprensa
rede web de informação e cultura