quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Ventos de 55 km/h cancelam regatas de Scheidt e Prada em Weymouth

Fabrizio Prandini/ Divulgação

As duas provas previstas para esta quarta-feira (10/8) não puderam ser realizadas; brasileiros seguem na liderança da classe Star no evento-teste para Londres/2012

São Paulo - O vento forte que soprou na raia olímpica de Weymouth nesta quarta-feira (10/8) atrapalhou a programação da classe Star no evento-teste para os Jogos de Londres/2012, cancelando as duas regatas do dia. Com isso, Robert Scheidt e Bruno Prada, os representantes brasileiros da classe na competição, seguem na liderança da classificação, com 7 pontos perdidos, 10 de vantagem para os segundos colocados, os irlandeses Peter O'Leary e David Burrows, que somam 17.

"A Comissão de Regatas perdeu uma grande oportunidade de fazer as regatas pela manhã, quando a previsão era de ventos mais para médios. Já se sabia que à tarde eles iam aumentar muito", disse Scheidt. "Agora, em Weymouth, estamos com ventos entre 25 e 30 nós (de 46,29 km/h a 55,55 km/h), que é uma condição no limite da Star. O risco de quebra ou de alguma colisão, principalmente nesse percurso do porto, que é estreito, é enorme. No fim, fiquei feliz de não ter regata hoje."

A competição em Weymouth segue o modelo olímpico, com fase classificatória e Medal Race. Para a classe Star, estão previstas dez regatas na etapa de classificação, com a Medal Race no dia 13. Até agora, com a terça-feira (9/8) de descanso e nenhuma prova nesta quarta-feira (10/8), só foram completadas seis regatas. "Temos dois dias antes da Medal Race para completar quatro regatas. Provavelmente, o vento vai estar mais manso", disse Scheidt.

Scheidt e Prada começaram o campeonato arrasadores, com três vitórias. "Foram regatas de de recuperação, em que viemos de trás com velocidade. Depois, tivemos dois segundos lugares, também excelentes resultados. Cometemos um erro grave na sexta regata, que nos custou muito caro, e acabamos chegando em nono", contou Scheidt. "Faltam quatro regatas para o fim da fase de classificação e a Medal Race. Estamos mais ou menos na metade do campeonato. Estamos liderando, mas temos de continuar velejando bem."

Os brasileiros estão felizes com o novo barco, um PStar, americano, comprado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) com recursos da Lei de Incentivo Fiscal. A embarcação foi entregue na Europa no final de junho e os velejadores não tiveram muito tempo para treinar, mas não têm do que se queixar. "O barco tem se mostrado excelente. Sempre tem alguma coisinha para ajustar, porque ele ainda é novo, mas o desempenho tem sido muito bom", garantiu Scheidt.

Classificação geral após seis regatas e o descarte do pior resultado:
1º - Robert Scheidt e Bruno Prada, Brasil, 7 pontos perdidos (1+1+1+2+2+9)
2º - Peter O'Leary e David Burrows, Irlanda, 17 pontos perdidos (6+5+4+4+1+3)
3º - Mateusz Kusznierewicz e Dominik Zycki, Polônia, 19 pontos perdidos (8+4+2+5+3+5)
4º- Diego Negri e Enrico Voltolini, Itália, 20 pontos perdidos (4+10+3+3+6+4)
5º - Fredrik Loof e Max Salminen, Suécia, 30 pontos perdidos (3+7+7+6+7+8)

Robert Scheidt tem patrocínio do Banco do Brasil, Prada e Rolex. Robert Scheidt e Bruno Prada têm o apoio do Comitê Olímpico Brasileiro e da Confederação Brasileira de Vela e Motor.

Mais informações no site www.robertscheidt.com.br

Heleni Felippe, Jane Dias e Juliana Leite | Local
-- 
FarolCom | Coletivo de Imprensa
rede web de informação e cultura