quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Voluntários da Saúde chegam à região Serrana

Primeira equipe, formada por 28 profissionais, será dividida pelas localidades de Córrego Dantas, São Geraldo, Rio Grandina e Alto da Floresta

A primeira equipe de voluntários da Rede Hospitalar Federal no Rio de Janeiro partiu, na manhã desta terça-feira (18/01), para Nova Friburgo com a missão de reforçar o atendimento às vítimas das chuvas, que atingiram a Região Serrana na última semana. Na bagagem, os profissionais levaram kits com material para curativo, imobilizações e pequenas cirurgias, entre outros itens, além da experiência adquirida na enchente de Pernambuco, em junho de 2010.
 
Com a coordenação do diretor do Hospital Federal Cardoso Fontes, Paulo Fernandes, o grupo de 28 voluntários, entre enfermeiros e técnicos de enfermagem, será distribuído em postos montados em quatro regiões críticas da cidade: Córrego Dantas, São Geraldo, Rio Grandina e Alto da Floresta. As localidades foram definidas após o reconhecimento técnico feito pelo Gabinete de Crise do Ministério da Saúde, que desde a semana passada está na região.
 
"Como é uma situação crítica, é possível que a gente encontre feridos e pessoas que ainda não receberam atendimento médico", afirma Fernandes. Para ele, também será necessária a atenção psicológica da população devido às perdas que tiveram.
 
VOLUNTÁRIO - Um dos integrantes de equipe nasceu na região. Renan Ramos, enfermeiro do Hospital Federal do Andaraí, que também foi um dos voluntários na missão de Pernambuco, cresceu em Teresópolis e se mudou da cidade há dois anos, depois de passar no concurso do Ministério da Saúde.
 
"Minha família é toda da Região Serrana, tanto de Teresópolis como de Nova Friburgo. É um pouco mais complicado você trabalhar na região onde morou e conhece as pessoas, uma vez que posso encontrar um familiar ou um amigo de infância, da universidade ou vizinho próximo que pode ter perdido tudo", declara Renan.
 
Assim que chegarem à cidade de Nova Friburgo, os voluntários irão se reunir com o diretor do Departamento de Gestão Hospitalar, Oscar Berro, que também é o responsável pela coordenação do Gabinete de Crise, montado pelo Ministério da Saúde para atender às vítimas da chuva da Região Serrana.
 
Balanço de ações:
 
-          Disponibilização de R$ 8,7 milhões para assistência hospitalar;
-          Envio de 30 kits de medicamentos e insumos estratégicos para atendimento a 45.000 desabrigados e desalojados (13/1);
-          Envio de 8 técnicos do Ministério da Saúde para apoio a Secretaria de Saúde do Estado (saúde ambiental, vigilância epidemiológica, urgência e emergência, e sangue e hemoderivados);
-          Envio de 30 mil frascos de Hipoclorito de s6dio;
-          Disponibilização de 250 mil doses de vacina dupla contra difteria e tétano;
-          Envio de material de orientação a população e aos profissionais de saúde (200.000 cartilhas "Saiba como agir em caso de Enchentes", 50.000 cartilhas "Saiba como agir em caso de Enchentes – Abrigos"; e 45.000 folders que abordam cuidados;
-          Spots de rádio para orientação a população — veiculados nas rádios dos municípios atingidos no RJ desde 13/1;
-          Envio de 15 ambulâncias avançadas e básicas;
-          44 pacientes transferidos para a rede hospitalar federal;
-          A Fiocruz disponibilizou o campo de futebol como base de apoio de resgate aéreo
-          Disponibilização de 6 pick-ups 4x4
-          INCA/RJ está dando suporte a mais de 200 pacientes da região
-          Apoio ao Hospital Municipal Raul Sertã, de Nova Friburgo;
 
Patrícia Gomes, da Agência Saúde - Ascom MS/RJ  
-- 
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa