segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

No Rio, 1.200 agentes são capacitados contra a dengue

O combate à doença está entre as prioridades de gestão de Alexandre Padilha. No último dia 5, a mobilização começou pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa)

Em sua primeira agenda oficial fora de Brasília, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha participou, na sexta-feira (7), no Rio de Janeiro, da aula inaugural do curso de formação de 1.200 agentes de controle de endemias, promovido pelas Secretarias de Saúde do Estado e do Município do Rio. Reunidos na quadra poliesportiva do Centro Integrado de Educação Pública do bairro de Campo Grande, zona Oeste do Rio, os profissionais ouviram o ministro reforçar a importância do trabalho deles no combate à dengue.

O combate à doença está entre as prioridades de gestão de Alexandre Padilha no Ministério da Saúde.  A mobilização começou no último dia 5, na Fundação Nacional de Saúde (Funasa), quando, em discurso para 200 servidores e diretores do órgão, o ministro ressaltou o papel do órgão no combate à doença.

Hoje, Padilha apontou que o combate à dengue deve ser feito por meio de uma ação integrada e lembrou que os agentes de endemia assumem uma participação estratégica nessa mobilização. "São vocês que entram na casa das pessoas e que podem promover a mudança de comportamento delas para o enfrentamento da dengue", disse Padilha. 

A ação no Rio é uma integração da prevenção à doença, com o combate ao mosquito por meio dos agentes, e adequação do atendimento à população. O ministro também participou da inauguração da Clínica de Saúde da Família Davi Capistrano. A unidade conta com a classificação de risco no atendimento a pacientes com dengue, o que segue as Diretrizes Nacionais para a Prevenção e Controle de Epidemias de Dengue do Ministério da Saúde. Ela também faz parte do plano estabelecido entre a União, Estado e município para a ampliação da atenção básica no Rio de Janeiro.

Entre janeiro e fevereiro de 2011, o ministro Alexandre Padilha deverá visitar outros estados que, no momento, apresentam tendência de aumento de casos de dengue e risco de enfrentar epidemia. 

Ainda na agenda do Rio de Janeiro visitou a Unidade de Pronto Atendimento de Campo Grande e o hospital Albert Schweitzer, no bairro de Realengo. Acompanharam o ministro o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes; o secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, que representou o governador Sérgio Cabral; o secretário municipal de Saúde, Hans Dohmann; o ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio; o senador eleito Lindberg Farias, além de vereadores e deputados estaduais e federais.

Agência Saúde 

-- 
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa