sexta-feira, 12 de novembro de 2010

CGTB reafirma proposta de 580 reais para o salário mínimo

O valor será debatido entre as centrais sindicais e levado ao governo

A executiva nacional da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB) reafirma a proposta de R$ 580 para o salário mínimo. A reunião na qual o valor foi definido aconteceu nesta quarta-feira (10/11), na sede do Sindpd (Sindicato dos Trabalhadores de Tecnologia da Informação) em São Paulo, e contou com a presença de dezenas de lideranças sindicais de 20 estados brasileiros.

Os representantes da CGTB estabeleceram este valor levando em consideração o desempenho econômico do país nesse ano, que deve ficar em torno de 7%, e as conquistas de reajustes salariais nas negociações coletivas dos sindicatos, que receberam em média 4% de aumento real.

Outro fator que conduziu à proposta de R$ 580 é a importância da valorização do mínimo para o fortalecimento mercado interno e para manutenção do poder aquisitivo dos trabalhadores, elementos que ajudaram o Brasil a enfrentar a crise econômica mundial.

"Nós estamos analisando formas de aperfeiçoar o acordo de reajuste do salário mínimo firmado entre as centrais e o governo, para que a valorização salarial seja contínua, mesmo quando o PIB for negativo como o de 2009," afirma Antonio Neto, presidente da CGTB e do Sindpd.

Atualmente, o acordo corrige o salário mínimo tendo como referência a variação do Produto Interno Bruto (PIB) e da inflação.



Cláudio Ahrens | Imprensa SindPD 
-- 
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa