quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Biodiversidade marinha é tema de encontro de cientistas

Especialistas de cinco países discutem a conservação de ambientes costeiros no país e perspectivas de produção de fármacos a partir de compostos naturais bioativos

 

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo sedia nos dias 9 e 10 de setembro o Workshop sobre biodiversidade marinha: avanços recentes em bioprospecção, biogeografia e filogeografia. O objetivo é estimular a formação de grupos de pesquisa com participação de cientistas brasileiros e estrangeiros para o desenvolvimento de pesquisas sobre bioprospecção, distribuição geográfica de organismos marinhos na costa brasileira e busca de compostos para produção de fármacos.

 

O Workshop sobre Biodiversidade Marinha também propõe o incentivo a pesquisas para produção de dados que possam subsidiar leis sobre a utilização e proteção de diferentes biomas – como as que já foram criadas em São Paulo, no início de 2009, com dados produzidos pelo Biota-FAPESP para biomas terrestres. As apresentações irão tratar de temas relevantes para pesquisa voltada à conservação e uso sustentável da biodiversidade marinha brasileira.

 

"O Programa Biota-FAPESP quer estimular a pesquisa e ampliar a discussão na comunidade científica sobre o uso sustentável de recursos da biodiversidade marinha em projetos desenvolvidos por pesquisadores de São Paulo e em colaboração com grupos de pesquisa de outros estados e países", diz Roberto Berlinck, professor do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos. "Dessa forma será possível formar mais pesquisadores e, ao mesmo tempo, ampliar o conhecimento sobre a biodiversidade marinha", completa o pesquisador, que é um dos organizadores do Workshop.

 

Preservação e novos fármacos

 

Participantes do Brasil, Estados Unidos, Nova Zelândia, Canadá e Bélgica discutirão a obtenção de produtos naturais bioativos para produção de drogas com diferentes aplicações biotecnológicas, o planejamento da intervenção humana no ambiente marinho diante da importância econômica de atividades como a pesca de baixo impacto ambiental e a própria caracterização da biodiversidade marinha brasileira.

 

William Fenical, do Centro de Biotecnologia Marinha e Biomedicina da Universidade da Califórnia, em San Diego (EUA), estuda há quase 20 anos compostos orgânicos com efeitos sobre o câncer e outras doenças originados em microrganismos marinhos. Em trabalho recente, o pesquisador descobriu em sedimentos do Oceano Atlântico, em região próxima às Bahamas, a bactéria Salinospora tropica, que produz um agente anticancerígeno muito potente para tratamento do mieloma múltiplo. O próximo passo é o teste em humanos. Ele também descobriu um novo fármaco anti-inflamatório derivado de um coral mole, a pseudopterosina, já utilizada em cremes faciais produzidos pela indús tria cosmética.

 

Outros compostos com potencial para o desenvolvimento de drogas anticâncer presentes em animais invertebrados dos oceanos são investigados por Raymond Andersen, da Universidade British Columbia, em Vancouver (Canadá).

 

Letícia Veras Costa-Lotufo, do Departamento de Fisiologia e Farmacologia da Universidade do Ceará, irá relatar no primeiro dia do Workshop seus estudos para busca de compostos para tratamento do câncer em invertebrados e microrganismos coletados na costa do Nordeste brasileiro. Paulo Mourão, do Instituto de Bioquímica Médica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, apresentará resultados de pesquisas sobre agentes anticoagulantes e antitrombóticos encontrados em ouriços do mar. (veja programação abaixo)

 

BIOTA+10

 

A expansão de pesquisas multidisciplinares sobre a biodiversidade marinha é parte da estratégia definida em 2009 para os próximos 10 anos do Programa Biota-FAPESP. Desde 1999, o Programa apoia projetos para caracterização, conservação e uso sustentável da biodiversidade. Alguns temas propostos pelo Biota para projetos de pesquisa sobre a biodiversidade marinha são: a realização de inventários dos organismos de regiões litorâneas; identificação de fatores ambientais que afetam sua distribuição e abundância; estudos sobre interações desses organismos e sobre os impactos ambientais da exploração de petróleo e gás; e produção de dados sobre a biodiversidade que poderão ser incorporados aos modelos de muda nças climáticas.

 

 

Workshop sobre biodiversidade marinha: avanços recentes em bioprospecção, biogeografia e filogeografia

9-10/9/2010

 

Programação de conferências


9 de setembro, 2010

Simpósio I: Bioprospecting the shallow and the deep – advances in marine natural products

 

9h20 - Bioactive marine natural products that are potential drug leads and cell biology tools; Raymond J. Andersen (Departament of Chemistry and of Earth and Ocean Sciences, University of British Columbia, Vancouver, Canada)

10h10 - Sulfated polysaccharides ensures a carbohydrate-based mechanism for species recognition during sea urchin fertilization; Paulo Mourão (Instituto de Bioquímica Médica, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil)

11h10 - Exploring the treasures of the sea – Bacterial marine natural products; Bradley Moore (Scripps Institution of Oceanography and the Skaggs School of Pharmacy and Pharmaceutical Sciences, University of California – San Diego, USA)

 

13h30 - Bioactive compounds from marine organisms: How to prospect and preserve this potential?; Renato Crespo Pereira (Departamento de Biologia Marinha, Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, Brasil)

14h20 – Algae as a source of metabolites with economical value; Pio Colepicolo (Instituto de Química, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil)

15h00 – Microorganisms from the deep sea: A new resource for drug discovery; William Fenical (Center for Marine Biotechnology and Biomedicine, Scripps Institution of Oceanography and Skaggs School of Pharmacy, University of California, USA)

16h10 – Searching for new anticancer compounds from invertebrates and microorganisms collected off northeastern Brazilian coast; Letícia Veras Costa-Lotufo (Departamento de Fisiologia e Farmacologia, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Brasil)

16h50 – Analytical tools for molecule prospection and a novel approach to bioactivity screening; Carlos Bloch Jr. (Laboratório de Espectrometria de Massas – Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Brasília-DF, Brasil)

17h30 – Mesa Redonda e Discussão

 

 

10 de setembro, 2010

Simpósio II: Marine biodiversity and conservation – advances in marine biogeography and phylogeography

 

9h00 – Evolution and conservation of marine biodiversity in the coral triangle, the Amazon of the ocean; Paul Barber (Ecology and Evolutionary Biology, University of California, Los Angeles, USA)

9h50 – Unsolved mysteries of marine population genetics: Is there a common explanation?; Joseph Neigel (Department of Biology, University of Louisiana at Lafayette, USA)

10h55 – Seaweed biodiversity and biogeography: an evolutionary perspective; Heroen Verbruggen (Phycology Research Group, Ghent University, Belgium)

11h35  Discussão

 

14h00 – Genetic studies of cryptic species and phylogeography of Brazilian marine fauna; Antonio Mateo Solé-Cava (Instituto de Biologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil)

14h40 – Space, time and the sea; Michael Heads (Buffalo Museum of Science, Buffalo, USA)

15h45 – The unknown but enormous diversity of coral reefs: new molecular approaches for getting better estimates; Nancy Knowlton (Department of Invertebrate Zoology, National Museum of Natural History, Smithsonian Institution, USA)

17h – Closing Remarks

Roberto G. S. Berlinck (Instituto de Química de São Carlos, Universidade de São Paulo)

Mariana Cabral de Oliveira (Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, São Paulo)

Antonio Carlos Marques (Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo) Vanderlan S. Bolzani (Instituto de Química, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho)

 

 

Workshop sobre biodiversidade marinha: avanços recentes em bioprospecção, biogeografia e filogeografia

9-10/9/2010

Local: FAPESP, rua Pio XI, 1500, Alto da Lapa, São Paulo/SP

As palestras terão tradução simultânea

 

 

 

Gerência de Comunicação da FAPESP / Assessoria de Comunicação


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa | www.coletivodeimprensa.jor.br