domingo, 8 de agosto de 2010

Homens fazem mais exames de próstata e vasectomias

Ministério da Saúde comemora aumento na quantidade de testes e procedimentos. Números indicam avanços na assistência à saúde masculina

O Ministério da Saúde comemora, neste Dia dos Pais (8), importantes resultados da Política Nacional de Saúde do Homem, que completa o primeiro ano no final deste mês. Dados do Sistema Único de Saúde (SUS) mostram o avanço da participação masculina no planejamento familiar e o crescimento da quantidade de exames de próstata realizados no SUS. O Brasil foi o país pioneiro na América Latina a implementar uma política pública de saúde específica para os homens.

Em sete anos, a quantidade de vasectomias feitas pelo SUS cresceu 79%. O número de cirurgias saltou de 19.103, em 2003, para 34.144, em 2009. Durante o lançamento da política, ano passado, o ministério aumentou em 148% o valor pago por procedimento em ambulatório (de R$ 123,18 para R$ 306,47) e em 20% o valor por operação feita com internação (de R$ 255,39 para R$ 306,47).

O crescimento da quantidade de exames de próstata também indica que os homens também estão se cuidando mais para prevenir complicações como o câncer. De 2003 a 2009, triplicou o número de testes que detectam uma atividade anormal da próstata. A quantidade de PSAs (Dosagem de Antígeno Prostático Específico) realizadas na rede pública de saúde saltou de um para três milhões nesse período.

No total, 70 municípios - incluindo todas as capitais - já aderiram à Política Nacional de Saúde do Homem. Para cada uma dessas cidades, o governo federal repassa R$ 75 mil para o financiamento de ações e serviços relacionados à política. Além disso, o governo federal coloca à disposição dos estados e municípios recursos da ordem de R$ 613 milhões para ações indiretas, como distribuição de cartilhas, ações de educação, de comunicação e campanhas. 

QUESTÃO CULTURAL Estudos do Ministério da Saúde apontam que os homens só costumam procurar os serviços de saúde quando o problema geralmente já evoluiu. Por isso, acabam recorrendo aos hospitais. "Eles gostam de se ver como 'fortões', acham que nunca vão adoecer. Atribuem a si o papel de provedor, de cuidador. Por isso, têm medo de descobrir as doenças porque, para eles, essa situação está associada à fragilidade", explica o coordenador nacional de Saúde do Homem, Baldur Schubert.

Em agosto do ano passado, o Ministério da Saúde lançou a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. Com isso, o Brasil está na vanguarda das ações voltadas para esta população. O país é o primeiro da América Latina e o segundo do continente americano a implementar uma ação focada exclusivamente em problemas masculinos de saúde.

A política foi estruturada para aumentar o número de homens que procuram os serviços de saúde da atenção primária por meio da sensibilização da população e da capacitação dos serviços de saúde. Mais de 26 milhões de cartilhas sobre prevenção, diagnóstico, tratamento de câncer e promoção de hábitos saudáveis estão sendo distribuídas pelas secretarias estaduais e municipais de saúde. 

INDICADORES - Indicadores mostram que os homens têm hábitos de vida menos saudáveis e estão mais suscetíveis a fatores de risco para doenças crônicas. Na população brasileira, 15% das pessoas fumam. Entre elas, 19% são adultas do sexo masculino, enquanto 12% são do sexo feminino, segundo a pesquisa Vigitel/2009. O estudo também mostrou que 18% dos homens não praticam nenhuma atividade física, contra 9% das mulheres.

Os homens também têm uma alimentação considerada pior que a das mulheres. Enquanto 43% deles comem carne com excesso de gordura, 24% das mulheres fazem o mesmo. O consumo de carnes com excesso de gorduras é responsável por 18% das doenças cardiovasculares e 56% das doenças isquêmicas do coração – a primeira causa de morte entre as pessoas do sexo masculino. As doenças do aparelho circulatório foram responsáveis por 26% das mortes masculinas em 2006, segundo estudo feito pelo Ministério da Saúde. 

BRASÍLIAUma ação preventiva de saúde dos homens brasilienses promete movimentar o Parque da Cidade, em Brasília (DF), neste Dia dos Pais (8). A I Feira de Saúde do Homem é uma parceria entre a Secretaria de Saúde do DF, o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Urologia. Os espaços para a realização de exames e outros procedimentos gratuitos serão montados no estacionamento do parquinho Ana Lídia, até as 17h deste domingo.

A Caravana do Movimento pela Saúde Masculina, que percorre todo o País, também vai "desembarcar" no Parque da Cidade para esclarecer quais as principais doenças que atingem os homens. Fazem parte da equipe multidisciplinar da caravana urologistas, psicólogos e enfermeiros. Os visitantes poderão medir a pressão arterial, a taxa de glicose, o colesterol e o Índice de Massa Corporal (IMC), além de ter poderem fazer avaliação nutricional e exames. Todos os procedimentos são gratuitos. Corais e bandas de Brasília vão se apresentar no local para animar os papais e as famílias.

Agência Saúde


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura
coletivo de imprensa | www.coletivodeimprensa.jor.br