quinta-feira, 22 de abril de 2010

MDS lança contador que mostra o número de cisternas construídas no Semiárido

Bruno Spada / MDS
Está mais fácil para qualquer cidadão brasileiro acompanhar a execução do Programa de Cisternas do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). A Pasta lançou, em sua página na internet
( http://www.mds.gov.br), um contador on line que atualiza, com frequência, o número de cisternas construídas no Semiárido. O contador mostra ainda quem é o executor: governo municipal, governo estadual ou a entidade Associação Programa Um Milhão de Cisternas (AP1MC), todos parceiros do MDS.
A atualização dos dados é feita pela Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SESAN), responsável pelo Programa Cisternas do MDS. As informações são repassadas pelos executores dos programas toda vez que uma nova cisterna é finalizada e instalada numa residência do Semiárido. Os internautas podem consultar o número de cisternas construídas por Estados e também por Municípios.
 
Para o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Crispim Moreira, o contador é um serviço importante "pois dá maior transparência, permitindo a qualquer cidadão acompanhar a evolução do programa em seu Município, em seu Estado e, também, em todo o Semiárido brasileiro".

No site do MDS, os internautas podem consultar o número de cisternas construídas por Estados e por Municípios

O Programa Cisternas do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome visa o acesso, o gerenciamento e a valorização da água como direito essencial da vida e da cidadania, ampliando a compreensão e a prática da convivência sustentável e solidária com o ecossistema do Semiárido.

Cisternas - A cisterna, uma espécie de tanque de água, é construída com placas de cimento junto ao domicílio da família e armazena cerca de 16 mil litros de água, aproveitando-se do escoamento do telhado por meio de calhas instaladas no mesmo. Esse volume é o suficiente para o consumo e também para o preparo dos alimentos, durante a seca, numa residência onde moram até cinco pessoas. Com a implantação da cisterna, os moradores não precisam mais se deslocar por longas distâncias para buscar água em açudes, poços e barreiros.

O público das cisternas é formado por famílias de baixa renda que moram na área rural do Semiárido e que não dispõem de fonte de água ou meio de armazená-la adequadamente para o suprimento de suas necessidades básicas. De 2003 a abril de 2010, já foram construídas 290.305 cisternas, beneficiando 1,3 milhão de pessoas de 1.124 Municípios.

Dimas Ximenes
ASCOM / MDS
--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura