quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Petrobras assina contratos para construção de embarcações para afretamento com Empresas Brasileiras de Navegação

Diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa - Foto: AGÊNCIA PETROBRAS

A Petrobras assinou, na tarde desta terça-feira (29/12), no Edifício Sede (Edise), no Rio de Janeiro, três contratos para construção de embarcações para afretamento por período (Time Charter Party) com Empresas Brasileiras de Navegação (EBN). A contratação inicial é de nove navios por um período de 15 anos e as embarcações serão construídas no Brasil por EBNs, com previsão de entrar em operação entre 2011 e 2014.

Nesta etapa, são três navios para transporte de bunker (combustível marítimo) de aproximadamente 4.500 TPB (Toneladas de Porte Bruto), contratados à Navegação São Miguel Ltda., outros três, também para transporte de bunker, de aproximadamente 2.500 TPB, contratados à Delima Comércio e Navegação Ltda., além de três embarcações para transporte de produtos claros, de aproximadamente 45.000 TPB, contratadas junto à Global Transporte Oceânico S.A..

O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, destacou que o EBN reafirma a diretriz da Petrobras de apostar e agir em parceria com o empresariado nacional. "Os navios têm que ter bandeira brasileira, tripulação brasileira e serão construídos em estaleiros brasileiros. É bom para as empresas, mas é muito melhor para o Brasil", frisou, acrescentando que a Companhia segue firme na intenção de viabilizar a retomada da indústria naval brasileira.

"Não vamos parar por aqui. Basta olhar o pré-sal e o que vem pela frente. Certamente teremos outras etapas do Promef (Programa de Modernização e Expansão da Frota, da Transpetro) e do EBN", previu.

O alto índice de propostas apresentadas foi considerado um sucesso pelo diretor. Segundo ele, no início do ano, 40 empresas formalizaram o interesse em participar, e foram apresentadas 35 propostas. Dos navios restantes para atingir os 19 previstos, três deles, gaseiros, estão em fase adiantada de negociações. Os outros sete ainda têm preços negociados pela Petrobras. "Ainda não chegamos a um preço adequado. Vamos continuar negociando", disse Costa.

No total serão 19 navios contratados no programa EBN, que é parte integrante de um conjunto de iniciativas da Petrobras para estimular a construção naval no Brasil. Essa ação pretende reduzir a dependência do mercado externo de fretes marítimos, gerar empregos e tem como referência parâmetros internacionais de custos e qualidade


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura