terça-feira, 10 de novembro de 2009

Setor supermercadista aquece mercado

Aumento das vendas gera novos postos de trabalho

 

O 12 de novembro é o "Dia Nacional do Supermercado", pois marca a data de criação da lei que regulamentou a atividade supermercadista no Brasil, em 1968. E, pelo que indicam os números, o setor tem mesmo o que comemorar.

 

Segundo dados da Associação Brasileira de Supermercados – Abras, as vendas nos supermercados apresentam um crescimento de 10,76% no acumulado de janeiro a setembro. Sendo que apenas em setembro o crescimento foi de 6% em relação ao mesmo mês em 2008. Este bom momento na retomada dos negócios é mais um dos motivos para o setor comemorar o próximo dia 12.

 

Para Gilson Cantuário, gestor de trade marketing da Rede Biz, com sede em Uberlândia (MG) e atuação em 15 cidades do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e sul de Goiás, esses números representam a potencialidade do mercado e a importância destas lojas no desenvolvimento econômico e social das cidades. "Dificuldades existem em todos os setores, principalmente àqueles em que as barreiras de entrada e saída não são tão altas o que facilita a concorrência, tornando o campo de competição mais acirrado, como no caso do setor supermercadista. Mesmo assim, o verdadeiro empreendedor consegue se destacar e garantir a atuação no mercado em grande estilo".

 

Emprego e renda

 

"Os supermercados participam diretamente da geração de emprego e renda de cada município, ocupando um importante papel na cadeia de abastecimento. Apenas as lojas da Rede Biz geram em média 1200 empregos, sendo 850 diretos e aproximadamente 350 indiretos", destaca Cantuário.

 

Mesmos com todos estes números, o gestor de trade marketing alerta para a necessidade de planejamento para aqueles que pretendem abrir seu próprio supermercado. "Existe um pensamento generalizado que, por tratar-se de produtos de primeira necessidade, como alimentos, limpeza, higiene e perfumaria, um supermercado é mais fácil de administrar e o retorno é garantido. Mas não é bem assim. Todo negócio tem o seu risco e o empreendedor precisa estar disposto a arriscar", observa.

 

"Todavia alguns cuidados básicos são importantes para reduzir estes riscos. Como fazer um bom planejamento, avaliar os pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades, observar o local onde pretende estabelecer a loja, o perfil do consumidor daquela área, concorrência e diferenciais. Além disso, é fundamental ter conhecimento do setor e executar com profissionalismo a gestão do negócio", orienta Cantuário.

 

Do outro lado, o consumidor é o maior beneficiado pela expansão do setor. Com profissionais qualificados, lojas cada vez mais modernas e próximas de suas casas, o cliente tem acesso à variedade de produtos e campanhas promocionais.

 

"Nas filiadas da Rede, investimos em atendimento diferencial, apresentação moderna dos produtos de acordo com as tendências do setor e no comportamento do consumidor. Além de oferecer produtos de boa qualidade e preço justo", apresenta.


Lead Comunicação – Assessoria de imprensa Rede Biz

www.leadcomunicacao.com.br

--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura