segunda-feira, 1 de junho de 2009

Na TV Cultura: 55 documentários na nova série DOCTV IV

Programa conta com nomes consagrados como Tata Amaral e Glauber Paiva Filho, além de jovens promessas, e inicia com filme de André Amparo, na Semana Mundial do Meio Ambiente 


Numa bem sucedida parceria com a produção independente brasileira, o Programa DOCTV estreia no dia 5 junho (sexta-feira), às 22h40, na TV Cultura, sua quarta série de documentários inéditos. Nesta edição são 55 títulos, todos co-produzidos por meio do Programa de Fomento à Produção e Teledifusão do Documentário Brasileiro. O filme O Caminho do Meio, do mineiro André Amparo, abre a programação na Semana Mundial do Meio Ambiente abordando o problema histórico da relação entre trabalhadores da cana-de-açúcar, fazendeiros e questões ambientais.

Durante um ano, semanalmente, serão exibidos documentários realizados em todo Brasil a partir da associação entre as TVs públicas locais e produtores independentes. Em outros estados, os documentários irão ao ar nas grades de programação das TVs e circuitos alternativos de exibição das instituições públicas participantes do programa.

A série deste ano tem como característica a presença de documentaristas experientes, como Glauber Paiva Filho (CE), Rodrigo Minelli e Lucas Bambozzi (MG), Pedro Urano e José Jofilly (RJ), Gustavo Spolidoro (RS), Tata Amaral (SP), Gabriel Mascaro (PE) entre outros, além da participação de jovens promessas do audiovisual brasileiro, como Luiza Fagá (SP), de apenas 21 anos, compondo um reflexo plural das diversas vertentes do documentário contemporâneo.

Nesta edição, os documentários caminham em três direções: ora enfrentando os processos sociais contemporâneos, ora dialogando com a tradição, ora promovendo revisões históricas, quando não articulando duas dessas estratégias de abordagem em um mesmo documentário. Desta forma, o DOCTV IV é uma promessa de encontro das questões urgentes do país com o povo brasileiro, por meio do olhar de 55 documentaristas sobre suas realidades.

DOCUMENTÁRIO DE ESTREIA

No dia 5 de junho, na Semana Mundial do Meio Ambiente, o público confere o documentário O Caminho do Meio, de André Amparo. Desde os anos 60, moradores do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, se deslocam de suas cidades para trabalhar na colheita de cana-de-açúcar nas grandes fazendas do interior paulista. O boom dos bio-combustíveis aumenta ainda mais a necessidade dessa mão de obra sazonal e barata que, na maioria das vezes, trabalha sem condições de salubridade. O Caminho do Meio, selecionado entre 48 projetos inscritos no Concurso Mineiro do DOCTV IV, se aproxima desses trabalhadores e aponta as questões conflitantes que envolvem o agronegócio e os problemas sócio-ambientais.

EVENTO DE LANÇAMENTO EM SÃO PAULO

Será realizado no Cine Bombril (Conjunto Nacional - avenida Paulista, 2073, São Paulo), no dia 4 de junho, às 20h, o evento nacional de lançamento do DOCTV IV, que vai reunir o secretário do Audiovisual, Silvio Da-Rin; o Secretário de Estado da Cultura de São Paulo, João Sayad; o presidente da ABEPEC, Antonio Achilis; o presidente da Fundação Padre Anchieta, Paulo Markun; a presidente da EBC/TV Brasil, Tereza Cruvinel; o diretor regional do Sesc, Danilo Miranda; o presidente da Associação Brasileira de Documentaristas – ABD Nacional, Solange Lima; e o presidente da ABD/SP, Celso Gonçalves.

Na ocasião, também estarão presentes os autores e produtores dos nove documentários paulista – Periferia.Com; Carta Sonora; Duplo Território; Bagatela; O Rei do Carimã; Desenho do Corpo; O Último Que Sair Fecha a Porta; Engarrafados; e Sou Negro, Não Sei Sambar.

O DOCTV

O Programa é uma realização da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, da ABEPEC - Associação Brasileira das Emissoras Públicas Educativas e Culturais, da TV Cultura - Fundação Padre Anchieta, e da TV Brasil - Empresa Brasil de Comunicação, com o apoio da ABD Nacional - Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-metragistas.

Com o bordão "Quando a realidade parece ficção, é hora de fazer documentários", o DOCTV lançou, em 2008, uma campanha em tom de provocação direcionada aos documentaristas de todo o país, que responderam com a inscrição de 665 projetos nos concursos estaduais de seleção. A seleção estadual é a ponta de um processo, parte das ações de regionalização, que conta também com o incentivo à adequação do modelo de negócio DOCTV para os estados, resultando nas Carteiras Especiais. O programa conta ainda com ações de formação, com realização de oficinas para formatação e desenvolvimento de projetos e seminários de discussão que aproximam essa engenharia de produção do debate estético do documentário, além de ações de comercialização no mercado nacional e internacional, até a exibição dos documentários em circuito nacional de televisão.

Desta forma, o DOCTV tornou-se referência no mercado audiovisual brasileiro contribuindo sistematicamente para a inovação do setor. Por sua metodologia, o programa é exemplo de política pública de fomento internacional, com versões nos países ibero-americanos e chega em 2009 aos cinco continentes através do DOCTV CPLP (de países de língua portuguesa).

ENTENDA O PROGRAMA DOCTV

O Programa de Fomento à Produção e Teledifusão do Documentário Brasileiro – DOCTV nasceu em 2003 como uma política da Secretaria do Audiovisual para a estruturação do setor voltado à produção de documentários e à TV Pública. O DOCTV atua em toda a cadeia produtiva do documentário (da formação, passando pela produção e difusão, até a comercialização), fomentando cada etapa e agindo de maneira a criar ambientes de mercado e auxiliar na formação de profissionais no exercício desta atividade. Para isso, oferece uma série de oficinas organizadas para dar suporte aos processos, desde a elaboração do projeto a ser inscrito no concurso, passando pelo desenvolvimento dos projetos e desenhos de produção dos documentários selecionados que serão realizados até a grade de difusão dos filmes em TV Pública aberta. Por conta dessa metodologia, nas três edições anteriores do DOCTV, nenhum filme deixou de ser realizado e exibido, pois o Programa atua em todas as fases de produção garantindo sua plena execução.

Outro importante objetivo do DOCTV é fomentar esta atividade em todo o Brasil garantindo uma produção regionalizada e a difusão do conteúdo de cada unidade federativa em âmbito nacional. Todos os estados da federação participam do Programa por meio de suas TVs ou Instituições Públicas em associação com as representações estaduais da produção independente. Os filmes são produzidos por empresas produtoras locais e expressam a visão original de seus realizadores a partir de processos contemporâneos em seus estados. Isso também promove a efetiva descentralização de recursos financeiros para as 27 unidades federativas do país, com investimentos do Ministério da Cultura e das TVs e Instituições Públicas estaduais participantes.

Os recursos que viabilizam as edições do DOCTV são oriundos do Fundo Nacional de Cultura e das TVs e Instituições Públicas co-realizadoras do Programa. Nas três primeiras edições esses recursos foram articulados por meio de convênio firmado entre o Ministério da Cultura, Associação Brasileira de Emissoras Públicas Educativas e Culturais – ABEPEC e Fundação Padre Anchieta – TV Cultura, sempre com o apoio da Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-metragistas – ABD.

O DOCTV teve em suas quatro edições quase 3.000 projetos de documentário inscritos em 100 concursos estaduais, tendo co-produzido 170 documentários e gerado mais de 3 mil horas de programação para a Rede Pública de Televisão. Nessas quatro edições foram realizadas, também, 67 Oficinas para Formatação de Projetos com a participação de mais de 2.000 realizadores de todo Brasil, e três Oficinas para Desenvolvimento de Projetos, nas edições II, III e IV do DOCTV, reunindo os autores de projetos selecionados com expoentes do documentário brasileiro, como Jean-Claude Bernardet, Eduardo Coutinho, Eduardo Escorel, Maurice Capovilla, Geraldo Sarno, Jorge Bodanzky, Ruy Guerra, Giba Assis Brasil, Cezar Migliorin, Felipe Lacerda, Joel Pizzini e Cristiana Grumbach para a discussão detalhada de cada projeto.

Na quarta edição do Programa, uma nova ação de formação foi introduzida no DOCTV, a Oficina de Desenho Criativo de Produção, que reuniu os 35 autores dos projetos de documentário selecionados nos Concursos Estaduais DOCTV IV e seus respectivos produtores executivos com expoentes da produção nacional de documentários e representantes da Coordenação Executiva do Programa DOCTV. Para inaugurar esta oficina, foram convidadas as produtoras Raquel Zangrandi (Video Filmes) e Monica Schmiedt (M. Schmiedt Produções).

A partir da segunda edição do Programa DOCTV, foram realizadas também as chamadas Carteiras Especiais, com documentários viabilizados a partir da articulação de recursos financeiros de empresas do setor público e/ou privado, em um determinado estado ou região do Brasil, para produzir mais filmes que os já garantidos pelo Convênio MINC/FNC. Ao todo foram co-produzidos 39 documentários pelas Carteiras Especiais DOCTV SP I, II e III, DOCTV DF I, II e III, DOCTV PI I e II, DOCTV ALAGOAS EM CENA, DOCTV GOYAZ, DOCTV MG I e II, DOCTV Tocantins I, DOCTV Maranhão. Esse modelo de negócio atraiu R$ 4.100.000,00 (quatro milhões e cem mil reais) em investimentos diretos na produção audiovisual brasileira.

Em 2006, os 61 documentários das Séries DOCTV I e II foram lançados em DVD Home Video, em ação pioneira desenvolvida pela TV Cultura, por meio da Cultura Marcas e Log On Editora Multimídia, e Coordenação Executiva do DOCTV.

Os filmes do DOCTV participaram de diversos festivais dedicados ao documentário no Brasil e exterior como o É Tudo Verdade (onde o filme Elevado 3.5 venceu a competição nacional na Edição 2007), Locarno (Handerson e as Horas e Acidente), Biarritz (Do Lado de Fora), Sundance (Acidente), Edoc, (Violência S.A.).

Também em 2006, o Programa DOCTV tornou-se modelo de política pública para o setor e foi inspiração para a criação de um Programa análogo internacional, o DOCTV IBERO-AMÉRICA. A partir do pleito da Comunidade Cinematográfica Ibero-americana à Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, o DOCTV IB implantou sua sistemática de co-produção e teledifusão de documentários em 13 países latino-americanos, além de Portugal e Espanha. Outros desdobramentos são os processos de implantação dos Programas DOCTV México, DOCTV Colômbia e DOCTV Cinergia (América Central) e DOCTV CPLP (Comunidade dos Países de língua Portuguesa), este já em processo de concurso.

Assessoria de Imprensa da TV Cultura

 

 




--
http://www.farolcomunitario.com.br
rede web de informação e cultura