sexta-feira, 29 de maio de 2009

Ocorrências de casos humanos de influenza A (H1N1) - 28/05/2009

MINISTÉRIO DA SAÚDE

GABINETE PERMANENTE DE EMERGÊNCIAS 

 

NOTA À IMPRENSA

 

Quinta-feira, 28/5/2009, às 19h30

 

Ocorrências de casos humanos de influenza A (H1N1)

 

 

1.      O Ministério da Saúde informa que, após a divulgação de boletim às 16h00 desta quinta-feira (28 de maio), recebeu a confirmação de três outros casos de infecção pelo vírus Influenza A (H1N1) no país. Os três pacientes são residentes no Estado de São Paulo e apresentaram os sintomas da doença após retorno de viagens aos Estados Unidos. Todos receberam atendimento e orientação na rede pública local de saúde.

 

2.      Nesta quinta-feira, também havia sido confirmado o caso de um paciente infectado pelo vírus Influenza A (H1N1), residente de Santa Catarina, que também contraiu a doença após viagem aos Estados Unidos. Ele também está em tratamento e passa bem.

 

3.      Com estes, o total de casos confirmados no país chega a 14. Os casos foram registrados nos estados de São Paulo (06), do Rio de Janeiro (04), Santa Catarina (02), Minas Gerais (01) e Rio Grande do Sul (01). Para todos os casos, estão sendo realizados busca ativa e monitoramento de todas as pessoas que estabeleceram contato próximo com esses pacientes.

 

 4.      O Ministério da Saúde considera que não há evidências de sustentabilidade da transmissão de pessoa a pessoa do vírus A (H1N1), uma vez que, até o momento, foram detectados somente dois casos de transmissão autóctone (dentro do território nacional), ambos com vínculo epidemiológico com o caso índice procedente do México.

 

5.      Até o momento, os países com evidência de autoctonia são: Alemanha, Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Espanha, EUA, Itália, Japão, México, Panamá, Peru e Reino Unido. Segundo a OMS, o México, os EUA e o Canadá são considerados países com transmissão sustentada. A letalidade no mundo é de 0,70%. Nesta quinta-feira, 50 países têm casos confirmados e divulgados da doença, de acordo com informações dos governos ou da Organização Mundial de saúde (OMS), conforme tabela abaixo.

 

Tabela 1. Influenza A (H1N1) no mundo, segundo critério de classificação por país.

 

 

País

Confirmados

Óbitos confirmados

 

 

Total de casos

15.345

103

1

Estados Unidos

7.927

11

2

México

4.910

89

3

Canadá

1.118

2

4

Japão

364

0

5

Reino Unido

184

0

6

Chile

168

0

7

Espanha

138

0

8

Panamá

76

0

9

Austrália

67

0

10

Argentina

37

0

11

China

36

0

12

Costa Rica

33

1

13

Equador

32

0

14

Peru

31

0

15

Itália

23

0

16

Coréia do Sul

21

0

17

França

20

0

18

Kuwait

18

0

19

Alemanha

17

0

20

Colômbia

16

0

21

Brasil

14

0

22

El Salvador

11

0

23

Nova Zelândia

9

0

24

Israel

9

0

25

Bélgica

8

0

26

Filipinas

6

0

27

Guatemala

5

0

28

Cuba

4

0

29

Noruega

4

0

30

Holanda

3

0

31

Polônia

3

0

32

Suécia

3

0

33

Suíça

3

0

34

Finlândia

3

0

35

Irlanda

3

0

36

Grécia

3

0

37

Malásia

2

0

38

Rússia

2

0

39

Tailândia

2

0

40

Turquia

2

0

41

Áustria

1

0

42

Dinamarca

1

0

43

Honduras

1

0

44

Índia

1

0

45

Islandia

1

0

46

Portugal

1

0

47

República Tcheca

1

0

48

Bahrein

1

0

49

Romênia

1

0

50

Singapura

1

0

  

Legenda e informações complementares:  

1.       Fontes: Informações oficiais divulgadas pela OMS e governos dos países afetados (ver links no item VI)

2.       Para obter informações sobre os estados afetados por país, acesse: http://ais.paho.org/flu/sm/en/atlas.html

 

 

6.  NÃO É RECOMENDADO que a população tome medicamentos por conta própria, pois a automedicação pode mascarar ou atenuar sintomas, além de provocar resistência ao medicamento específico para influenza. Se as pessoas sentirem alguns dos sintomas, devem procurar um serviço de saúde imediatamente.

 

7.     O Ministério da Saúde reforça a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) da necessidade de as autoridades sanitárias manterem o sigilo da identidade dos casos confirmados, suspeitos e em monitoramento, evitando estigma social a essas pessoas.

 

 

 

Agência Saúde

.




--
http://www.farolcomunitario.com.br
rede web de informação e cultura