sexta-feira, 1 de maio de 2009

Ocorrências de casos humanos de influenza A (H1N1)

MINISTÉRIO DA SAÚDE

GABINETE PERMANENTE DE EMERGÊNCIAS

NOTA À IMPRENSA

Sexta-feira, 01/05/2009, às 16h30

Ocorrências de casos humanos de influenza A (H1N1)

1. O Ministério da Saúde monitora SETE CASOS SUSPEITOS de pessoas que atendem aos critérios de definição de caso suspeito de influenza A (H1N1) (ver item 5). Os pacientes estão sendo acompanhados em Espírito Santo (1), Minas Gerais (3) , Rio de Janeiro (1) e São Paulo (2).

2. Outros 41 CASOS estão sendo investigados, em 14 estados. As pessoas em investigação estiveram em áreas afetadas e apresentaram alguns sintomas, mas NÃO SÃO CONSIDERADAS SUSPEITAS, porque não atendem à definição de caso suspeito preconizada pelo Ministério da Saúde.

3. Desde o início da divulgação do boletim, DEZESSETE CASOS FORAM DESCARTADOS para influenza A (H1N1) – dois no Amazonas, um no Mato Grosso do Sul, um em Minas Gerais, um no Pará, quatro no Paraná, sete no Rio de Janeiro e um em Santa Catarina.

4. Desde ontem (30/04), a Organização Mundial de Saúde (OMS) adotou como denominação oficial influenza A (H1N1), em substituição às denominações gripe/influenza suína.

N

UF

TOTAL DE CASOS – ATUALIZADO 16h30

Em monitoramento1,2

Suspeitos3

Confirmados laboratorio4

Descartados5

1

Amazonas

02

0

0

02

2

Bahia

03

0

0

0

3

Ceará

01

0

0

0

4

Espírito Santo

01

01

0

0

5

Mato Grosso do Sul

01

0

0

01

6

Minas Gerais

04

03

0

01

7

Pará

0

0

0

01

8

Paraíba

01

0

0

0

9

Paraná

03

0

0

04

10

Pernambuco

01

0

0

0

11

Rio de Janeiro

02

01

0

07

12

Rio Grande do Norte

06

0

0

0

13

Santa Catarina

02

0

0

01

14

São Paulo

14

02

0

0


Total

41

07

0

17
















CLIQUE NA IMAGEM ACIMA PARA AMPLIAR

5. Para o Ministério da Saúde, um caso suspeito é caracterizado por:

· Apresentar febre alta de maneira repentina (acima de 38ºC) e tosse, podendo estar acompanhadas de algum dos seguintes sintomas: dificuldade respiratória e dor de cabeça, musculares e nas articulações E:

a)Ter apresentado sintomas até 10 dias após sair de áreas afetadas pela doença;

OU

b)Ter tido contato próximo, nos últimos dez dias, com uma pessoa classificada como caso suspeito de influenza suína.

6. São consideradas áreas afetadas os países com casos confirmados e divulgados pelos governos ou pela OMS. Até a divulgação deste boletim, a OMS reconhecia a existência de casos suspeitos em 14 países: México, Estados Unidos, Canadá, Espanha, Reino Unido, Nova Zelândia, Israel, Alemanha, Áustria, Suíça, Holanda, China, Hong Kong e Dinamarca.

7. Para o Ministério da Saúde, contato próximo é a pessoa que cuida, convive ou teve contato direto com secreções respiratórias ou fluidos corporais de um caso suspeito.

8. A recomendação para as pessoas que sentem algum dos sintomas e que passaram por áreas afetadas pela influenza A (H1N1) é procurar um serviço público de saúde imediatamente. Existem, no país, 52 hospitais de referência (ao menos um por estado) para atendimento de eventuais casos que precisem ser monitorados.

9. O Ministério da Saúde NÃO RECOMENDA que a população tome medicamentos por conta própria. A automedicação pode mascarar ou atenuar sintomas, além de provocar resistência ao medicamento específico para influenza.


Agência Saúde